quinta-feira, 18 de julho de 2013



PATOLOGIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL
ESTUDO DE CASO IMPERMEABILIZAÇÃO


Por: Sara Adganiel A. de O. Silva e 
Rafael Torres dos Santos


Este trabalho é voltado para estudo de um caso patológico real, e os objetivos principais são elaborar o diagnóstico e consequentemente um prognóstico e ou recuperação da patologia. No presente trabalho será estudado o caso de uma residência multifamiliar, a mesma possui em torno 192m², construída em alvenaria, situado no endereço, Rua Rio Jordão, nº53, Bairro Nossa Senhora de Fátima I, na cidade de Manaus, estado do Amazonas, Brasil.
ANAMNESE
O projeto arquitetônico e estrutural não se obteve informação de quem foi o responsável técnico e também não se tem informação do responsável técnico da execução. A obra teve início por volta de 2004, e ainda se encontra em processos construtivos, as datas exatas não foi possível verificar em tempo hábil. A residência é de alvenaria, de dois pavimento, possui pilares de concreto armado, a residência multifamiliar possuí 192m² ,como mencionado no capítulo anterior, sendo que a mesma possui no primeiro pavimento 2 apartamentos sendo o primeiro composto de  1 quarto,1 banheiro, 1 cozinha, garagem para 1 carros. O segundo apartamento é composto de 1 quarto, 1 cozinha, 1banheiro,1 sala e garagem para 2 carros. O segundo pavimento constituído de 3 quartos, 1 suíte, 2 banheiros, 2 salas,1 cozinha.
Não obtive acesso aos projetos, mas fiz levantamento de alguns dados, entre eles das informações da execução, que foi realizado por uma equipe de 1 pedreiro e 1 servente, os mesmo não tiveram auxílio técnico na execução, apenas utilizaram conhecimento empírico que possuíam, sem emprego de nenhuma técnica construtiva ideal. Muitas vezes acabando cometendo erros, como por exemplo, falhas na execução da construção do banheiro, onde apresenta infiltrações nas paredes laterais, lembrando que o projeto também não havia dimensionamento correto. E segundo informações a não houve nenhum processo de impermeabilização.
SIMATOLOGIA
A residência apresenta o surgimento de manchas, e desprendimento do reboco e, em alguns pontos, de peças cerâmicas, isso ocorre na parte interna, do pavimento térreo,  próximo ao piso, que se localiza na entrada da garagem externamente, e internamente se localiza a cozinha. Neste mesmo espaço encontram-se manchas devido ao fato de não ter sido protegida adequadamente, as manchas deste local se estende pela parede e atinge o quarto. No pavimento superior encontram-se manchas de impermeabilização próximas a pia e na parede do banheiro.
DIAGNÓSTICO
Os materiais utilizados na obra da presente residência foram principalmente argamassas, tijolos, concreto, que apresentam porosidade relativamente elevada, contribuindo para o surgimento de infiltrações de água e umidade nas construções. O local mais afetado é justamente o pavimento em contato com o solo, e está sujeito a maiores concentrações de água de chuva que escorre pelas fachadas, a respingos da água que se projeta a partir de beirais de telhados. Também em função da posição do nível do lençol freático e do tipo de solo.
A patologia detectada é devido à ascensão capilar de umidade do solo. Até pode-se notar que as manchas, o desprendimento do revestimento assim como da pintura, é devido a problema na impermeabilização da fundação. O que levou a esse problema é complexo chegar a uma conclusão, pois pode ser problema no produto, erro de execução, falta de um projeto de impermeabilização, entre outros. E para chegar a uma conclusão deveria aprofundar-se no caso, que demanda custos desnecessários, se tratando de um problema tecnicamente simples.
PROGNÓSTICO
O objetivo principal para tratar a patologia, é evitar que ocorra a ascensão da capilaridade, tanto do solo, quanto de possíveis poças d’água devido a algum fenômeno físico. Nestes casos, o tratamento consiste na remoção do revestimento até atingir a alvenaria. Fecham-se as possíveis bicheiras surgidas, devido remoção do revestimento com argamassa de cimento e areia, preparando assim o substrato.
Recomendo, com base na NBR 9575: Impermeabilização: Seleção e Projeto, que se use impermeabilização que consiste na aplicação do sistema argamassa polimérica, que é um revestimento bi-componente composto por pó e líquido.
O pó é um cimento modificado e o líquido um polímero. Aplica-se na forma de pintura, com brocha ou trincha, em demãos cruzadas em intervalos de 6 h entre demãos. Umedecer o substrato previamente. O tratamento deve avançar no piso para evitar infiltração na emenda.
O sucesso da impermeabilização depende de um projeto de impermeabilização bem detalhado, contemplando o conjunto e todas suas interferências. A mão de obra deve ser criteriosa, prestando atenção a todos os detalhes descritos pelo fabricante e conhecimento dos procedimentos construtivos bem como dos materiais. A NBR 9574: Execução de impermeabilização.




Manchas na parede interna da cozinha, causada por falta de impermeabilização na parte externa.
Mancha se estende por toda parede, atingindo o quarto.


Manchas causadas por vícios construtivos e falta de impermeabilização adequada na área da pia da cozinha.
Manchas na parede externa do banheiro causadas por erros construtivos e  impermeabilização inadequada.


Manchas causadas erros construtivos e falta de  impermeabilização.
Manchas acompanhadas de desprendimento de peça cerâmica devido a grande umidade sofrida pela parede que não teve nenhum processo de proteção do lado externo.
Obs.: Não foi concedida permissão para fotografar a lateral externa por pertencer a outro terreno.




REFERÊNCIAS

ABNT. NBR 8083: Materiais e sistemas utilizados em impermeabilização: Terminologia. Rio de Janeiro, 1983.
ABNT. NBR 9574: Execução de impermeabilização. Rio de Janeiro, 1986.
ABNT. NBR 9575: Impermeabilização: Seleção e Projeto. Rio de Janeiro, 2003.
Instituto de Engenharia de Impermeabilização. Disponível em: < http://www.ibisp.org.br/> Acesso em: 4 de dezembro de 2011.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário